terça-feira, 18 de abril de 2017

Aos 33 anos, quixeramobinense que sofre de doença rara necessita de cama hospitalar e fraldas

Na manhã desta terça-feira, 18, a reportagem do blog Quixeramobim Agora visitou a senhora Iana Lúcia Leal Paulino, 33 anos, natural de Quixeramobim, que desde 2012 foi diagnosticada com Coréia de Hungtinton, um distúrbio neurológico hereditário, que não possui cura e pode apenas ser tratado.

A visita foi motivada pelo apelo da cuidadora de Iana, Maria José (conhecida como Mazé), em conseguir uma cama hospitalar, já que Iana passa a maior parte do dia acamada. Apesar de receber um benefício, a quantia não é suficiente para suprir as despesas com remédios, alimentação e fraldas. Segundo Mazé, um pacote de fraldas é utilizado em um único dia.

Indagada sobre o apoio da família de Iana Lúcia, a cuidadora informou que a mesma não recebe amparo dos parentes. Ao que tudo indica o assunto pareceu ser delicado demais para ser tratado na matéria. Fato é que Dona Mazé afirmou que todo o cuidado de Iana é de sua responsabilidade, e declara que essa é mais uma tentativa de conseguir a doação da cama hospitalar, que facilitaria nos seus cuidados.

Quem quiser doar fraldas (Tamanho M), alimento (Leite Nam ou Ninho desnatado) ou a cama hospitalar para Iana, basta entrar em contato com o Sistema Maior de Comunicação pelos números 3441-1178 ou 3441-0263 ou se preferir diretamente com dona Mazé no (088) 9 9255-5854.

Postado por: Jornalismo - Sistema Maior de Comunicação

Nenhum comentário :

Postar um comentário

O blog Quixeramobim Agora é uma ferramenta de informação que tem como características primordiais a imparcialidade e o respeito a liberdade de expressão.

Contudo, em virtude da grande quantidade de comentários anônimos postados por pessoas que se utilizam do anonimato muitas vezes para ferir a honra e a dignidade de outras, a opção "Anônimo" foi desativada.

Agradecemos a compreensão de todos, disponibilizando desde já um endereço de email para quem tiver interesse em enviar sugestões de matérias, críticas ou elogios: jornalismo@sistemamaior.com.br.

Cordialmente,
Departamento de jornalismo