sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

História: Incêndio na Boate Kiss completa 4 anos

Há quatro anos, um incêndio na Boate Kiss, na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, provocou a morte de duzentas e quarenta e duas pessoas. A tragédia está  em terceiro lugar entre o maior desastre em casas noturnas do mundo e é considerada a segunda maior já registrada no Brasil, sendo superada apenas pelo incêndio do Gran Circus Norte-Americano, ocorrida em 1961, em Niterói, no Rio de Janeiro, quando morreram 503 pessoas.

Segundo o laudo do Corpo de Bombeiros, o fogo foi provocado por um integrante da banda Gurizada Fandangueira, que se apresentava no local. Ele acendeu um sinalizador que emitia fagulhas que atingiram o teto revestido de espuma. O revestimento que era utilizado para diminuir o ruído no local rapidamente pegou fogo.

O inquérito policial apontou 28 pessoas como responsáveis, inclusive o prefeito municipal da época. Quando o inquérito chegou ao Ministério Público, quatro bombeiros foram denunciados. Um foi absolvido, dois condenados pela Justiça Militar por expedição de alvará e outro pela Justiça comum por fraude processual. Todos cumprem penas em liberdade.

Outras quatro pessoas foram denunciadas por homicídio: os dois donos da boate, um músico e um produtor da banda. O juiz resolveu levá-los ao Tribunal de Júri. Mas a defesa recorreu e o caso está sendo examinado pelo Tribunal de Justiça.

Os rumos do processo frustraram as famílias das vítimas que queriam que mais pessoas fossem denunciadas pelo Ministério Público e condenadas pela Justiça. Os familiares começaram a fazer pressão e acabaram enfrentando processos por calúnia e difamação por parte de um promotor que estava no caso.

Postado por: Jornalismo - Sistema Maior de Comunicação

Nenhum comentário :

Postar um comentário

O blog Quixeramobim Agora é uma ferramenta de informação que tem como características primordiais a imparcialidade e o respeito a liberdade de expressão.

Contudo, em virtude da grande quantidade de comentários anônimos postados por pessoas que se utilizam do anonimato muitas vezes para ferir a honra e a dignidade de outras, a opção "Anônimo" foi desativada.

Agradecemos a compreensão de todos, disponibilizando desde já um endereço de email para quem tiver interesse em enviar sugestões de matérias, críticas ou elogios: jornalismo@sistemamaior.com.br.

Cordialmente,
Departamento de jornalismo