Banner_Banco_Nordeste

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Morre arcebispo de Teresina, natural de Quixeramobim, Dom Miguel Fenelon Câmara Filho

Na tarde desta quinta-feira, 28, faleceu o arcebispo emérito da Arquidiocese de Teresina e filho de Quixeramobim, Dom Miguel Fenelon Câmara Filho, aos 93 anos. Foram 16 anos sendo arcebispo da congregação.

Em nota divulgada pela Arquidiocese, Dom Miguel estava internado há 23 dias, recebendo toda a assistência médica necessária para seus cuidados.

O corpo de Dom Miguel será velado e sepultado na Catedral Arquidiocesana de Nossa Senhora das Dores a partir das 19h.

Biografia

Miguel Fenelon Câmara Filho nasceu no dia 4 de abril de 1925, em Quixeramobim. Desde menino já queria ser padre e com apenas 12 anos ingressou no Seminário Menor de Fortaleza. Foi ordenado sacerdote aos 23 anos, em 8 de dezembro de 1948.

Ele fez pós-graduação em Roma, cursando Ciências Sociais na Universidade Gregoriana; e na Universidade Pro Deo, fez especialização em Ação Social e Opinião Pública.

Miguel foi Padre no Ceará, atuando em paróquias do interior. Como professor lecionou no Seminário Maior de Fortaleza. Foi bispo auxiliar da Capital cearense. Depois seguiu para o Estado de Alagoas, em Maceió, e lá foi arcebispo coadjutor. Em 24 de novembro de 1976 tornou-se arcebispo de Maceió.

Chegou em Teresina no ano de 1984 e tomou posse como arcebispo metropolitano em 6 de janeiro de 1985. Foi o quarto arcebispo de Teresina.

Ainda como Arcebispo Metropolitano fundou o Lar de Misericórdia, Lar da Fraternidade, Casa de Zabelê e Centro Maria Imaculada. Casas de abrigo e acolhida que até hoje servem a comunidade mais carente. Nas ações creditadas a ele para o fortalecimento da Igreja e reestruturação da Cúria , encontra-se ainda a criação do primeiro Vicariato das Comunicações Sociais do Brasil com a finalidade de promover, articular e integrar os serviços de comunicação no âmbito de Igreja local. (Do Repórter Ceará)

Nenhum comentário :

Postar um comentário

O blog Quixeramobim Agora é uma ferramenta de informação que tem como características primordiais a imparcialidade e o respeito a liberdade de expressão.

Contudo, em virtude da grande quantidade de comentários anônimos postados por pessoas que se utilizam do anonimato muitas vezes para ferir a honra e a dignidade de outras, a opção "Anônimo" foi desativada.

Agradecemos a compreensão de todos, disponibilizando desde já um endereço de email para quem tiver interesse em enviar sugestões de matérias, críticas ou elogios: jornalismo@sistemamaior.com.br.

Cordialmente,
Departamento de jornalismo