segunda-feira, 13 de março de 2017

História: Há 187 anos nascia Antonio Conselheiro

Nascia, em Quixeramobim, há 187 anos, Antonio Vicente Mendes Maciel, o Antonio Conselheiro. Que com sua fé e idealismo, peregrinou pelos sertões do Nordeste para, no interior do Estado da Bahia, instalar uma comunidade chamada Canudos, cujos objetivos buscavam uma convivência fraterna e harmônica, baseada na religiosidade e na justiça social. Em sua época, no final do século dezenove, foi incompreendido pelas novas autoridades republicanas que governavam o País.

Conselheiro e seus seguidores resistiram brava e heroicamente a quatro expedições militares. Não se entregaram, mas tombaram um a um, lutando, municiados mais com a fé e a coragem do que com as suas armas, que eram insignificantes diante do poderio bélico da Polícia da Bahia e do Exército Brasileiro.

Conselheiro e sua saga têm reconhecimento mundial. É tema de estudos mundo afora e virou filme de grande repercussão. Uma das maiores obras da literatura brasileira, "Os Sertões", de Euclides da Cunha, conta a história da Guerra de Canudos. Hoje, tanto as autoridades brasileiras quanto os historiadores e outros estudiosos, daqui e de outros países, reconhecem o profundo erro histórico cometido contra Conselheiro, sua gente e Canudos. Uma guerra fraticida. E por isso somos Canudos!

Antonio Conselheiro, um filho de Quixeramobim!

Postado por: Jornalismo - Sistema Maior de Comunicação

Nenhum comentário :

Postar um comentário

O blog Quixeramobim Agora é uma ferramenta de informação que tem como características primordiais a imparcialidade e o respeito a liberdade de expressão.

Contudo, em virtude da grande quantidade de comentários anônimos postados por pessoas que se utilizam do anonimato muitas vezes para ferir a honra e a dignidade de outras, a opção "Anônimo" foi desativada.

Agradecemos a compreensão de todos, disponibilizando desde já um endereço de email para quem tiver interesse em enviar sugestões de matérias, críticas ou elogios: jornalismo@sistemamaior.com.br.

Cordialmente,
Departamento de jornalismo