quarta-feira, 12 de julho de 2017

Quadrilha explode mais uma agência bancária e foge com reféns no Ceará

Uma quadrilha armada atacou uma agência do Banco do Brasil nesta quarta-feira, 12, no município de Nova Olinda, distante 520 quilômetros de Fortaleza. Segundo a Polícia Militar, o bando invadiu a cidade, explodiu o banco e depois fugiu fazendo moradores reféns. Foi o terceiro ataque a bancos em menos de uma semana no Ceará.

Conforme o sargento Everardo Lima, comante da PM de Nova Olinda, o ataque ocorreu durante a madrugada. Cerca de 10 homens participaram do crime. Eles atiraram contra as portas de vidro e depois detonaram as dinamites no interior da agência.

A polícia ainda não sabe se os criminosos tiveram acesso ao dinheiro do banco. "Ainda não dá pra dizer se eles conseguiram efetuar o roubo. Testemunhas disseram que os próprios criminosos falaram que não tinha dinheiro na agência. Mas só dá pra confirmar após uma perícia que vai ser realizada aqui", comentou o sargento.

Após a explosão, a quadrilha fez moradores reféns e fugiu com destino a Pernambuco. A PM informou que parte das vítimas foi solta na saída de Nova Olinda. Outras pessoas foram liberadas pelo bando somente em Pernambuco. Ninguém ficou ferido.

Equipes da Polícia Militar de Nova Olinda e de outras cidades vizinhas foram acionadas e realizam buscas pela região para tentar localizar o grupo criminoso. Até o momento, ninguém foi preso. (Do G1-Ceará)

Nenhum comentário :

Postar um comentário

O blog Quixeramobim Agora é uma ferramenta de informação que tem como características primordiais a imparcialidade e o respeito a liberdade de expressão.

Contudo, em virtude da grande quantidade de comentários anônimos postados por pessoas que se utilizam do anonimato muitas vezes para ferir a honra e a dignidade de outras, a opção "Anônimo" foi desativada.

Agradecemos a compreensão de todos, disponibilizando desde já um endereço de email para quem tiver interesse em enviar sugestões de matérias, críticas ou elogios: jornalismo@sistemamaior.com.br.

Cordialmente,
Departamento de jornalismo