segunda-feira, 15 de maio de 2017

No Ceará, casos de chikungunya somam 13 mil entre janeiro e maio

São crescentes os casos de febre chikungunya, no Ceará, este ano. De janeiro até a segunda semana de maio foram confirmados mais de 13 mil casos.

A chikungunya é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo vetor da dengue e do Zika vírus, e chega a ser mais debilitante. A febre surge logo no início da doença e as dores nas articulações podem durar meses.

Em 2016, a Secretaria da Saúde do Ceará classificou a doença como epidêmica, com 31 mil casos confirmados. A estimativa é que a cada dez pessoas picadas pelo mosquito transmissor, pelo menos sete fiquem doentes.

De acordo com a coordenadora de Proteção à Saúde da secretaria, Daniele Queiroz, o vírus se multiplica rapidamente e o mosquito começa a infectar outras pessoas dentro de apenas dois dias. Além disso, as pessoas que ficaram doentes podem passar o vírus para diversos mosquitos durante dez dias.

Além das ações de combate ao mosquito, um grupo de especialistas do Ceará se reuniu, a convite da Prefeitura de Fortaleza, para formar grupos de pesquisa sobre a chikungunya e a forma como a doença evolui, no estado. (Da Agência Brasil)

Nenhum comentário :

Postar um comentário

O blog Quixeramobim Agora é uma ferramenta de informação que tem como características primordiais a imparcialidade e o respeito a liberdade de expressão.

Contudo, em virtude da grande quantidade de comentários anônimos postados por pessoas que se utilizam do anonimato muitas vezes para ferir a honra e a dignidade de outras, a opção "Anônimo" foi desativada.

Agradecemos a compreensão de todos, disponibilizando desde já um endereço de email para quem tiver interesse em enviar sugestões de matérias, críticas ou elogios: jornalismo@sistemamaior.com.br.

Cordialmente,
Departamento de jornalismo