quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

História: Painéis Guerra e Paz de Portinari eram entregues à ONU em 1956

Há 61 anos o pintor brasileiro Cândido Portinari entregava os painéis Guerra e Paz à Organização das Nações Unidas, a ONU. Esses painéis, que medem cerca de quatorze metros de extensão por dez de altura cada um foram pintados entre os anos de 1952 e 1956.

O governo brasileiro encomendou as pinturas ao artista com o objetivo de presentear a sede da Organização, em Nova Iorque. Trabalho terminado, os painéis foram expostos no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, com a presença do presidente Juscelino Kubitschek.

Com poucos pontos de cor e tons sóbrios e frios, a pintura dá ao observador a sensação de desconsolo. As expressões das figuras presentes no quadro revelam medo, tristeza e desespero.

Já no painel que se refere à paz, Portinari usou tons mais amenos. Transmitem alegria e tranquilidade.

A presença de cores como o vermelho chama a atenção do observador para a felicidade que emana da pintura, assim como as figuras representadas nele. Esse é o caso, por exemplo, do coral de crianças cantando e das mulheres dançando, enquanto os homens jogam capoeira.

As pinturas foram expostas no Memorial da América Latina, em São Paulo, no Grand Palais, de Paris, no Memorial da Paz de Hiroshima, no Japão, em Oslo, na Noruega e no Museu de Arte Moderna de Nova Iorque.

Postado por: Jornalismo - Sistema Maior de Comunicação

Nenhum comentário :

Postar um comentário

O blog Quixeramobim Agora é uma ferramenta de informação que tem como características primordiais a imparcialidade e o respeito a liberdade de expressão.

Contudo, em virtude da grande quantidade de comentários anônimos postados por pessoas que se utilizam do anonimato muitas vezes para ferir a honra e a dignidade de outras, a opção "Anônimo" foi desativada.

Agradecemos a compreensão de todos, disponibilizando desde já um endereço de email para quem tiver interesse em enviar sugestões de matérias, críticas ou elogios: jornalismo@sistemamaior.com.br.

Cordialmente,
Departamento de jornalismo